quarta-feira, 3 de junho de 2015

Respondemos as dúvidas mais frequentes sobre espinhas


As espinhas fazem parte da nossas vidas, não é mesmo?  Pensando em tirar as dúvidas mais frequentes sobre o assunto, a Atrê conversou com a dermatologista Samantha Enande, que explicou pra gente as causas e a melhor maneira de tratar as espinhas. Saiba mais!
Quais os principais motivos de se ter espinha?
Durante a adolescência, ocorrem diversas alterações hormonais no organismo. Estas alterações estão diretamente ligadas ao surgimento de espinhas na pele, porque ocorre um estimulo na produção de sebo na pele. Também existem outros fatores que contribuem, como: a pele oleosa e o histórico genético.
- As peles oleosas possuem mais chances de desenvolver a acne em abundância, porque a oleosidade é um fator predisposto ao surgimento.  
- A carga genética também influência bastante. Por exemplo, se o pai ou a mãe possuíam acne na adolescência, as chances do indivíduo também desenvolvê-la é de 30%. Quando ambos – pai e mãe  possuem o histórico de pele acneica as chances sobem para 50%.
 A alimentação influencia de alguma forma nas espinhas?
Sim, os alimentos influenciam diretamente no surgimento de acne na pele. Hoje, sabemos que alimentos gordurosos e de alto índice glicêmico agem diretamente na produção de sebo. Então, quando comemos muito carboidrato e alimentos açucarados as glândulas sebáceas aumentam a sua produção, contribuindo diretamente para a pele acneica.
Mito ou Verdade: Chocolate dá espinha?
Caso ele tenha gordura e açúcar em sua composição, o chocolate causará espinhas. Não é o cacau que contribui para o surgimento das espinhas, e sim a gordura e o açúcar presentes no doce. Sabemos que o chocolate ao leite e o chocolate branco (que não é chocolate de verdade) são os maiores causadores da acne.
 Quais os tratamentos mais eficazes contra espinha? 
Como a adolescência é uma fase carregada de mudanças hormonais, é comum que a pele do jovem fique mais oleosa e propensa à espinhas. O recomendado é que a pele seja higienizada ao longo do dia: manhã, tarde e noite, com produtos indicados para o seu tipo.Quando escolhemos um produto muito agressivo para o nosso tipo de pele ocorre o efeito rebote. Ao invés de diminuir a produção de sebo, irá aumentar.
 Existe alguma forma de prevenir a pele de espinhas?
Sim. O recomendado é que algumas manias parem, como passar muito as mãos no rosto. As mãos são um elo de contaminação por bactérias que, quando levadas ao rosto, contribuem para o aparecimento das espinhas.  Outro elo de contaminação está no nariz. No nariz, a fossa nasal existe também diversas bactérias.
 Espremer os cravos e as espinhas também não é recomendado. Nunca devemos espremê-los porque a chance da nossa mão estar contaminada é alta. Logo, a mão levará a sujeira ao “buraquinho” do cravo e promoverá a infecção – aquela espinha com pus amarelo. O adolescente deve evitar fazer estas coisas.
 Outro exemplo está na lavagem do rosto com água normal. Não é recomendado que se lave o rosto debaixo da torneira e depois o seque com um papelzinho. Não podemos fazer isto porque a pele do rosto tem todo um protocolo de limpeza.
Produtos adequados, recomendados para pele oleosa e com acne, são mais indicados. Por exemplo, protetor solar convencional aumenta a produção de sebo. Dependendo do caso, o ideal é que o adolescente consulte um dermatologista.
 Quais os principais problemas de pele dos adolescentes? 
A pele oleosa. Como  o adolescente  vive um momento de forte mudança hormonal, é comum que a pele fique mais oleosa e propensa a desenvolver cravos e espinhas.
Fonte: Patricia Batista

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário